terça-feira, 23 de abril de 2019

Vivemos uma época limítrofe, uma época em que a próxima encruzilhada pode estar há anos-luz de distância, o que nos leva a crer que hoje é o momento da escolha.





Meu amigo querido, será que você entende o momento em que está vivendo? Entende a magnitude e a grandeza das provas atuais?
Olho para você, com todo meu amor, e confesso que enxergo, ora uma criança, ora um senhor. A criança que mantém o brilho no olhar e a esperança inocente do futuro feliz. Por outro lado, o senhor pessimista, sério e entregue, sentindo-se incapaz e contando os dias para que chegue o fim.
O que eu gostaria, do fundo das minhas emoções, é que você não se prendesse a nenhum desses extremos, meu querido; nem a criança que espera o milagre, nem ao velho à espera do fim.
Entre eles há o jovem consciente e inteligente, que sabe que toda mudança, por menor que seja, exige paciência e resignação.
Imagine então quem cruza o limite entre permanecer estagnado e dar passos importantes para a escalada espiritual. Porque é isso que acontece agora com você. Está exatamente na encruzilhada espiritual e precisa escolher o caminho a seguir.
Eles são resumidamente assim: um deles te manterá na mesma marcha que te trouxe até aqui; um o caminhar lento e despreocupado, uma vida sem grandes transformações; por um lado a calmaria, mas por outro a estagnação.
O outro caminho é o da inconsequência; o caminho que percorrem os que acreditam não haver amanhã; o caminho do imediatismo, o caminho da porta larga. Esse nada te exige no presente, mas nele caminham aqueles que se esquecem que cedo ou tarde terão que voltar recolhendo, um a um, os espinhos distribuídos ao próximo e também a si mesmo. Essa é a nossa única certeza; essa é a Lei, e para ela não há indulgência. Esse é o caminho do atraso.
O terceiro é o que exigirá mais; nele não encontrará facilidades. Haverá subidas íngremes e haverá descidas escorregadias; mas também haverá certeza da missão sendo cumprida e a consciência expandida e orientada, já não cogitará outro modo de caminhar. Esse é o caminho da evolução.
Vivemos uma época limítrofe, uma época em que a próxima encruzilhada pode estar há anos-luz de distância, o que nos leva a crer que hoje é o momento da escolha.
Então decida: ou reclame ou lute pela mudança; ou trabalhe ou se recoste; ou estude ou entregue-se às facilidades das tecnologias vazias; ou se sinta vítima da vida ou seja autor de seus recomeços. 
Sim, meu irmão, pois a vida é feita de escolhas; portanto, não devemos nos acovardar; aliás não devemos e também não podemos, pois essa é a lei.
Sendo assim, não desanime, pois logo tudo entra nos eixos, e o que hoje te parece um sacrifício, amanhã se transformará em benção, pois a consciência tranquila e o coração manso é a maior de todas as riquezas.
Fique na paz e na certeza do amparo constante. Contamos com você. E até lá, muito boas escolhas!
Com amor,
João.

Nenhum comentário:

Postar um comentário