domingo, 23 de setembro de 2018

É nas confabulações do nosso adentrar íntimo é que vamos conseguindo aprimorar sentidos em que já estamos realizando com várias necessidades de acertos e ajustes para que possamos confabular conosco mesmo, quando ainda fazemos nas primeiras tentativas de cada parte de nossa história de viver.

 
 
 
Avaliando momentos em que estamos em pensamentos em nós mesmos e percebendo que certa limitação vem perseguindo, somos convidados então a entrar no processo de otimização de cada momento em que estamos fazendo ajustes necessários ao conhecimento e entendimento de novas idéias e principalmente das percepções em que adentramos, pois fomos convidados e somos capazes de realizá-las na medida correta e interpretativa do momento.
É nas confabulações do nosso adentrar íntimo é que vamos conseguindo aprimorar sentidos em que já estamos realizando com várias necessidades de acertos e ajustes para que possamos confabular conosco mesmo, quando ainda fazemos nas primeiras tentativas de cada parte de nossa história de viver.
Sabendo de tudo isso conseguiu então sem nostalgias que remete a solidão de nós mesmos, que de quando em quando nos abate, pois ainda somos julgadores de nós mesmos.
Mas sem indagações que distancias das conjecturas da vida, começamos a colocar nas dificuldades o trabalho amoroso do pensar e sentir verdadeiramente o caminhar escolhido.
Sendo então necessário o trabalho interno, que provoca uma série de pensamentos a serem realizados, pois as realizações de agora, preenche e faz buscar as interações das movimentações naturais do processo de conviver e crescer, nas imediações de um Ser novo que provoca todas essas mudanças agora perceptíveis.
É quando adentramos nas imediações do nosso sentir desejado, que provoca as sensações oriundas de um caminhar todo pautado no Amor, por nós e por todo o Ser que também procura em si a ter em momentos de sua existência convívio consigo mesmo, sendo o seu próprio construtor de sentimentos nobres que habita em cada partícula da nossa existência humana, terrestre ou não.
Convictos é todos na criação de um Pai amoroso que não distância de seus filhos e dá oportunidade para evoluirmos e adentrarmos na morada que sempre foi e será nossa.
Com as conquistas das virtudes, que por hora vai desabrochando e escutando o palpitar dos corações internalizados no universo, vai conspirando para as projeções que fizemos em consonância com as nossas atividades diárias que expressa todo o nosso estado de Ser no momento.
Então vamos conspirando a favor de tudo isso e acalentando todas as percepções que advém das nossas vivências cotidianas, vamos ficando mais atentos a essas mudanças já outrora retratadas aqui no processo de construção íntima de cada um.
Não precisamos mais ficar nas lamentações desacordadas como no princípio de tudo. Temos agora as mentes despertas e conectadas nas energias poderosas e acima de tudo amorosa a nos envolver, como no colo de mãe que embala seu mais amado rebento. Somos assim mesmos, extasiados com o pulsar divino que está em nós, vibra dentro de cada princípio criado pelo Criador. Sejam as vozes a desabrochar no infinito Amor.               
                                                                                                      Charles

Nenhum comentário:

Postar um comentário