segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Nem tudo é fácil e óbvio, trazemos de nossa ancestralidade memórias internas e imensuráveis as vezes as tentativas de trazer para o indivíduo como certas terapias recorrentes as fazem, podem tornar-se uma alienação para os indivíduos e perdas cognitivas, para o seu percurso dessa e de outras existências do porvir.

Nem tudo é fácil e óbvio,  trazemos de nossa ancestralidade memórias internas e imensuráveis as vezes  as tentativas de trazer para o indivíduo como certas terapias recorrentes as fazem, podem tornar-se uma alienação para os indivíduos e perdas cognitivas, para o seu percurso dessa e de outras existências do porvir. 

Quando vamos percebendo o quanto podemos melhorar e aprimorar, em algumas tentativas a busca do nosso crescer íntimo, qualificamos melhor nossos pensamentos a busca de sentimentos próprios imbuídos no caminhar que poderia ser aflitivo, vamos dando conta das percepções que agora temos sem perdemos o estado amoroso, que deveria ser permanente. Mas não conseguimos ainda a busca torna-se viável no sentido de certas maneiras que devemos buscar para entender, quais os verdadeiros sentimentos que estamos buscando, quando de alguma forma não conseguimos qualificar. Em tempos pertinentes a nossa condição transfigura-se na intenção de buscas silenciosas ao ser em construção em momentos em que almeja a notoriedade das sensações transitórias que leva as confusões prodigiosas e atormentadora as de sentimentos não digerido pelo indivíduo E vai alterando seu estado de consciência nas questões abstratas da vida e no momento seguinte sente a necessidade de amadurecer ideias e pensamentos que o perseguem com trejeitos não qualificados, e sem intenção de continuar com algo que não o faz crescer interiormente deflagra-se com as ilusões que pertinentemente o persegue, sem ter condições de lidar com tudo isso vai abastecendo-se de ideias idiopáticas que vai atormentando e perseguindo e distanciando ainda mais do caminhar salutar condizente com seu estado de Ser nesse momento que avassaladoramente toma conta do seu pensar e agir sem as mínimas condições do sujeito parar e tentar adequar-se no seu estado original. Quando esses tormentos de pensamentos toma conta do indivíduo não se pode ou não poderia exigir o não mais que ele pode dar. E nesse ínterim que devemos doar uma cota mais de amor para que ele possa começar alternar seu estado de consciência que é ambíguo, retornar aos poucos e com ajuda de fármaco-terapêuticas levantar-se da estagnação do sofrer que angustia e persevera a dor e as angústias geradas  nesses conflitos intelecto-morais do seu viver. E que guardamos os resquícios dessas vivências amargas e elas devem ser dosadas aos poucos, Nem tudo é fácil e óbvio, os trazemos de nossa ancestralidade memórias internas e imensuráveis as vezes ois as tentativas de trazer para o indivíduo como certas terapias recorrentes as fazem, podem tornar-se uma alienação para os indivíduos e perdas cognitivas, para o seu percurso dessa e de outras existências do porvir. Mas quando buscamos a notória ajuda a pensadores, pesquisadores sérios seria esse um novo caminho para o sujeito que ainda não se vê, como escolhas e aptidões para o belo. O seu progresso viria do seu mais profundo estruturalmente do querer ir ajustar-se nas condições em que a vida lhe apresenta. E nessa circunstâncias do seu caminhar, vai aprendendo novamente o que é bom para si e o que não é. E tendo oportunidade de escolhas e ajudas vai reconstruindo ser que quebrado estava reestruturar se no seu ambiente conflituoso esse ambiente interno, pois são várias as repartições íntimas a qual deve adentrar e conseguir ajustar-se da maneira como pode e não como deve. Percebemos que ser imortal que somos e com um Pai amoroso que temos, vamos ajustando as partículas quebradas e passamos a ilumina-las com o nosso olhar, nosso jeito peculiar de ser e com a ajuda psicoespiritual vamos adentrando no sagrado de nosso ser elaborando resquícios de verdade concretas que poderiam não ser, e abandonando nossa insistência de ser o que não é, vamos ajustando ao divino esse que não cobra, não lamenta as escolhas equivocadas que fazemos e vamos seguindo menos tenso, menos cobradores de nós mesmos e seguindo o caminho que todo ser o faz quando pelas nossas insistências não amorosas fazemos, mas nos retratamos e começamos novamente a retornar no caminho da luz que nos leva a Casa do Pai.
Charles

Psicografia Portal da Luz
26/11/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário